PPL quer eleger distrital com a menor votação do DF: 6 mil votos

O Pátria Livre (PPL) quer aproximar a população das ideias e propostas do partido. Para isso, se posicionará para o eleitorado com um pré-candidato a Presidência da República. Será o filho do ex-presidente João Goulart, João Vicente Goulart. João Goulart era conhecido como Jango e governou o Brasil entre 1961 e 1964.

A executiva nacional entende que o fato do partido ter uma candidatura à presidência da República impulsionará o partido e consequentemente ajudará nas eleições estaduais.

João Vicente Goulart assumiu o comando do Pátria Livre no Distrito Federal e pretende eleger pelo menos dois deputados distritais. Na eleição de 2014, o Pátria Livre elegeu a deputada distrital Telma Rufino, que hoje está filiada ao Pros.

Hoje o Pátria Livre conta com 22 pré-candidatos a deputado distrital com votação comprovada entre mil e três mil votos e 3 candidatos com votação de até seis mil votos.

A executiva do partido no DF garante que o partido terá condições de eleger um deputado distrital, e até o dia 7 de abril, trabalha para atrair outros pré-candidatos e repetir o resultado das eleições de 2014, quando o partido sozinho atingiu quase 100 mil votos. Foram 98 mil votos, apenas dos candidatos do PPL. A coligação elegeu dois distritais.

Políticos com e sem mandato estão vivendo um dos momentos mais difíceis das últimas eleições. O aumento da rejeição por parte da população em relação a classe política, as novas regras eleitorais, a diminuição de visibilidade nas campanhas e o fim do financiamento privado são alguns dos desafios para quem almeja um cargo público nas eleições de 2018.

O principal motivo de indefinição tem sido a escolha de um partido para disputar as eleições, no DF, a decisão mais difícil tem sido a dos pré-candidatos a deputado distrital.

A maioria dos pré-candidatos vão mudar de partido até o dia 7 de abril, prazo final para a filiação de quem pretende concorrer nas eleições de 2018. Nos bastidores é comum conversar com dirigentes partidários e perceber que a indefinição é generalizada. Nomes de pré-candidatos são garantidos em várias listas partidárias.

O PPL está entre os partidos mais atrativos e deve eleger parlamentares com média inferior à dos demais partidos. O teto estabelecido pelos dirigentes do Pátria Livre é de seis mil votos.

Quem ainda não definiu seu partido deve ficar atento as movimentações. O primeiro passo para a vitória é escolher um bom partido, o segundo e fechar uma boa coligação, depois é sola de sapato, santinho e saliva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here