Rosso promete incentivo a empresários para combater desemprego

O combate ao desemprego foi o foco da campanha de Rogério Rosso (PSD) nesta quinta-feira (6/9). O deputado federal licenciado passou pela Feira dos Importados e pelo Setor Bancário Sul e afirmou que o Distrito Federal precisa encarar a luta contra o desemprego como “uma guerra”.

 

O incentivo aos empresários é uma das medidas para minimizar o problema, segundo o candidato. Em 2017, a média anual foi de 315 mil desempregados no DF, número maior do que o ano anterior (quando havia 277 mil), segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED).

 

Rosso tomou café da manhã na Feira dos Importados e ouviu as reivindicações dos comerciantes. Eles reclamam principalmente da insegurança no exterior da área, como aumento do tráfico de drogas, da prostituição e de roubos e furtos. O concorrente ao Buriti lembrou da importância do centro comercial para a geração de empregos no DF e prometeu medidas para resolver as questões.

 

“A Feira dos Importados é um dos locais que mais gera emprego e com maior visitação no DF. Para que a gente vença a batalha do desemprego, o cliente tem de ser sentir seguro. O que os feirantes dizem é que vários compradores estão deixando de ir porque o entorno da feira está se tornando um local de alto risco”, declarou Rosso.

 

Para conter o avanço da violência, ele prometeu aumentar o policiamento no local. “Há ausência do estado seja na segurança pública, seja na saúde. Diariamente, passam cerca de 10 mil pessoas por lá. É muita gente para que não haja policiamento eficaz”, comentou.

 

Quiosques

Depois da visita à Feira dos Importados, Rosso almoçou feijoada em um quiosque tradicional do Setor Bancário Sul. No local, destacou também a questão do desemprego e assegurou que reduzirá as taxas pagas pelos donos de comércio em áreas públicas do Distrito Federal.

 

“Os quiosqueiros também geram muitos empregos. As taxas de ocupação e fiscalização aumentaram, por isso vários deles estão fechando porque não têm como pagar”, disse. “O governo precisa estar junto com quem gera emprego. Para combater essa guerra, precisamos estar ao lados dos empresários (dos pequenos, dos micros e dos empreendedores individuais)”, completou.

 

Rosso também falou sobre a infraestrutura da região. Trabalhadores e comerciantes reclamam, por exemplo, da estado do asfalto dos estacionamentos, deteriorado em muitos pontos. “Não são só viadutos que caem, várias partes aqui do centro, por não terem sido cuidadas pelos últimos governos, apresentam riscos graves e reparos precisam ser feitos urgentemente”, criticou.

Fonte:correiobraziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here