“PAÍS DESENVOLVIDO É PAÍS QUE NÃO USA CARRO” DIZ ZELIO MAIA

Por Jair Henderson

Em entrevista coletiva feita por videoconferência realizada pela “Sala de Imprensa ABBP”, ocorrida nesta quinta-feira (14/05), o diretor-geral do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, Zélio Maia falou sobre as ações na frente no órgão.

Foi questionado pelo portal Doa a Quem Doer, como está sendo a arrecadação do Detran-DF, uma vez que a maior fonte financeira do órgão é a emissão de multas. “O fechamento completo do Detran- DF foi no dia 18 do mês passado, no momento pior para o DF na pandemia, com a redução de 68% de carros nas ruas, teve 90% a menos para de multas emitidas nesse período, porém como as multas ainda não foram cobradas, somente em alguns meses poderemos sentir o verdadeiramente a redução”.

Zelio Maia ainda falou que o departamento não pode ser conhecida como administradora de veículos e sim de pessoas, outro ponto que Zelio apontou foi a falta de educação no transito, o mesmo pediu para retirar os pardais fakes que tinha na cidade, pardais que estavam instalados e não eram utilizados, pois para ele o cidadão tem se educado e não precisa de pardais para saber que não pode fazer coisas erradas.

“Hoje o Detran-DF não tem projeto voltado para os ciclistas, mas sabemos que um país desenvolvido é um país sem carros, e vamos conversar com outras pastas e tentar desenvolver algum projeto para os ciclistas” disse o diretor Zelio Maia

Isolamento

De acordo com o Zelio Maia, o inicio do isolamento teve uma redução de 68% de veículos, o que equivale a 1.400 milhões de carros a menos nas ruas de Brasília, depois de mais de 2 meses que estamos vivendo com essa pandemia, hoje a capital tem 38% a menos ou 800 mil carros.

Faixa de pedestre

“A faixa de pedestre é todos as cidades do Brasil, porém Brasília é conhecida como pai da faixa de pedestre pois foi na capital onde se intensificou a fiscalização e cobrança das obrigatoriedade da parada para a passagem de pedestres”.

CHN Social

“Estamos aguardando a sanção do governador, onde o mesmo irá estabelecer os dados financeiros para a emissão da CNH, também será criado um fundo para viabilizar a emissão das CNH”.

Segundo Zélio Maia o programa vai atender todas as categorias de habilitação, incluindo motos (A), automóveis leves (B), caminhões (C) e ônibus ou micro-ônibus (D), além de garantir curso, treinamento e emissão do documento sem custo a pretensos condutores inscritos em programas de Assistência social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here