Confira o que Ministério da Saúde mudou na divulgação dos dados da Covid-19

Por Érica Montenegro

Pasta dificultou o acesso aos dados sobre o alcance da pandemia, o que prejudica as ações de combate ao novo coronavírus

A atualização diária dos dados sobre a Covid-19 no país virou o centro de uma polêmica nos últimos quatro dias (04/06). De quarta-feira para cá, os boletins diários que atualizam o número de casos confirmados e de mortes têm sido divulgados por volta das 22h – um horário em que as informações não alcançam boa parte da população que já está dormindo ou se prepara para isso.

Na sexta-feira (05/06), questionado sobre o atraso na divulgação dos dados, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que “Acabou a matéria no Jornal Nacional”. E, no mesmo dia, Carlos Wizard, nomeado para um cargo estratégico no Ministério da Saúde, em entrevista ao jornal O Globo, disse que o número de mortes e diagnósticos de Covid-19 são “fantasiosos ou manipulados”. Para ele, estados e municípios estariam inflando as informações para receber mais recursos.

Também na sexta-feira (05/06), o portal público no qual os dados diários do país – divididos por estados e regiões eram divulgados – foi retirado do ar. Ou seja, o Ministério da Saúde tem dificultado o acesso às informações sobre o alcance da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

“Um dos princípios básicos para enfrentar uma epidemia é a transparência, sem as informações o país fica no escuro”, reclama o sanitarista Claudio Maierovicht, da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). “Os dados servem tanto para que estados e municípios tomem suas medidas, como para que a população esteja ciente da necessidade de manter medidas de precaução”, completa.

Em relação à veracidade dos dados e à manipulação sugeridas por Wizard, o próprio Ministério da Saúde já reconheceu que óbitos e diagnósticos no Brasil estariam subnotificados por conta da baixa testagem e da investigação pendente de cerca de 4 mil óbitos.

Números
De acordo com a última atualização (05/06), o Brasil registra 35.026 mortes em decorrência da Covid-19 e 645.771 pessoas já foram infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

O Brasil ocupa o 2º lugar no ranking mundial de casos de Covid-19 e o 3º lugar em relação ao número de mortes. Na quinta, o país ultrapassou a Itália na quantidade de falecimentos e, deste então, fica atrás apenas dos Estados Unidos e da Inglaterra.

Fonte: Metrópoles.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here