Jaques Wagner diz que Cunha é quem mente e que chantagem acabou

20151203123801354302oO ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, rebateu as declarações dadas pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na manhã desta quinta-feira (3/12). O ministro disse que o peemedebista é quem mentiu e que, com a deflagração do processo de impeachment, o governo se livrou de chantagem. “Agora isso tudo sai da coxia e vai para o palco; acaba a chantagem”, afirmou o ministro, em coletiva no Palácio do Planalto.

Mais cedo, Cunha acusou a presidente Dilma Rousseff de mentir em seu pronunciamento na noite de ontem ao negar ter tentado fazer barganha para barrar o prosseguimento do processo de impeachment. O peemedebista disse que, à sua revelia, foram oferecidos os três votos do PT no Conselho de Ética em troca da aprovação da CPMF ao deputado André Moura (PSC-SE), um de seus principais aliados. O parlamentar do PSC teria sido levado à presidente Dilma pelo ministro Jaques Wagner.

O ministro confirmou que se encontrou com o deputado André Moura, mas negou que ele tenha sido levado até a presidente Dilma. “O deputado André Moura esteve comigo e eu sempre discuti com ele, como emissário do presidente da Câmara, pauta econômica, a DRU, a CPMF, a repatriação”, afirmou. Wagner citou também o PLN5, que revisava a meta fiscal e foi aprovado ontem. “Nessa matéria felizmente tive êxito, porque conseguimos aprovar ”

Wagner disse ainda que nunca conversou com Moura sobre pedido de impeachment. “Ele seguramente vai confirmar isso.”

Fim da chantagem

O ministro destacou que sempre defendeu a tese de que o governo não poderia se sustentar o tempo todo ameaçado pela abertura do impeachment. “Sempre disse: o presidente da Casa que decida o que ele quiser e nós colocaremos o número (no Congresso) para barrar”, afirmou.

Wagner disse ainda que o tema “virou pauta única de alguns segmentos” e que desde o início do segundo mandato de Dilma estavam procurando algo para tentar encaixar a presidente num pedido de impeachment. “Eles andaram o ano inteiro com lanterna na mão procurando para encaixar Dilma no impeachment”, disse. “Todo mundo sabe que não há dolo, má-fé e nada de errado com a presidente.”

Mercado

Wagner comemorou de forma discreta as reações positivas do mercado financeiro após o tumultuado dia de ontem – com a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e a vitória do governo no Congresso com a aprovação da revisão de meta fiscal de 2015. “O dólar ter caído um pouco, a bolsa subido, acho até positivo; espero que siga assim até o final do processo”, afirmou Wagner, ao final da coletiva. O ministro avaliou que o mercado financeiro tem “regras que são difíceis de explicar” e citou o alto movimento de especulação no passado recente.

Fonte: Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!