Crise da dengue preocupa deputados distritais, que pedem nomeações

Foto: Renan Lisboa/ Agência CLDF



O grave quadro epidemiológico da dengue no Distrito Federal mobilizou vários deputados distritais a discursarem na tribuna da Câmara Legislativa nesta terça-feira (6). Os parlamentares cobraram nomeações na Secretaria de Saúde e anteciparam suas posições em relação à proposta do governo de ampliação de hospitais administrados pelo Instituto de Gestão Estratégica em Saúde (IGES-DF) como forma de enfrentar a crise.

O deputado Jorge Vianna (PSD) criticou a dispensa de trabalhadores temporários da saúde no ano passado. “A Secretaria de Saúde abriu mão de mil funcionários de atenção primária, sendo 500 agentes de vigilância ambiental e, em contrapartida, contratou apenas 75 concursados. No ano passado, nós alertamos que essa epidemia de dengue poderia acontecer. Quero adiantar minha posição: sou contra ampliar o IGES-DF. Temos várias outras formas de ajudar a população neste momento. Se o governo nomear os concursados tenho certeza que eles virão compromissados com o combate à dengue. Há um déficit hoje de pelo menos 5 mil técnicos de enfermagem, mil agentes de vigilância e 800 enfermeiros, segundo números do próprio governo”, afirmou.

Para Gabriel Magno (PT), a crise da dengue foi construída pelo governo. “Denunciamos no ano passado que a suspensão dos contratos temporários na saúde levaria a uma crise. Demitiram mil e contrataram 75. Eu disse aqui nesta tribuna que parecia que a construção do caos na saúde serviria depois para justificar mais uma vez a ampliação do IGES. É o que aconteceu. Sabemos da urgência da abertura de novos leitos no DF, mas, se o governador quiser, ele pode nomear agora. Está tudo previsto na LDO”, apontou o distrital.

Fábio Félix (PSOL) criticou a proposta de ampliação do IGES neste momento. “Isso agora é uma faca no pescoço da CLDF, pois aqui não tem nenhum deputado contra a criação de leitos. Ora, estamos precisando de leitos porque não fizeram prevenção. Se o governo quer que votemos a ampliação de leitos emergenciais, precisa apresentar também um cronograma de nomeações na Secretaria de Saúde”, cobrou.

Eder Wen – Agência CLDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here